Renault do Brasil | Instituto Renault

Pessoas com Deficiência

Inclusão PCD

No que diz respeito à integração profissional de pessoas com deficiência, a Renault do Brasil vai além das obrigações legais, incluindo socialmente os colaboradores por meio de iniciativas que valorizam sua integração com a equipe:

A inclusão de pessoas com deficiência é um compromisso do Grupo Renault com a diversidade e está presente em todas as suas unidades. Desde 2012, conta com a rede social interna handi@renault, voltada para a inclusão de pessoas com deficiência e que já reúne mais de 1.000 colaboradores ao redor do mundo.

Parceria com a UNILEHU

paratletas

A Renault é uma empresa mantenedora da UNILEHU – Universidade Livre para a Eficiência Humana, organização sem fins lucrativos, criada em 2003, que promove a transformação social pela sensibilização, mobilização e capacitação da sociedade em prol da diversidade. Mais de 800 pessoas com deficiência se formam anualmente na UNILEHU. A entidade atua ainda em prol da diversidade de gênero, idade e etnia, e mantém um programa de aprendizagem profissional voltado a jovens de 14 a 24 anos.

O Instituto Renault tem sido parceiro da UNILEHU em diversos projetos e ações:

Parceria com a ADFP

esgrima para-atleta

A ADFP – Associação dos Deficientes Físicos do Paraná - tem o objetivo de instituir e coordenar serviços de assistência e reabilitação para deficientes físicos.
Desde 2010, o Instituto Renault garante mobilidade a pacientes carentes da ADFP, adultos e crianças em processo de reabilitação, disponibilizando uma van Master adaptada para o transporte de deficientes físicos em Curitiba e região metropolitana.
A parceria contempla ainda o patrocínio da equipe de Esgrima em Cadeira de Rodas da instituição.

Paratleta da Esgrima Sandro Colaço

esgrima para-atleta A Renault do Brasil faz parte da história de persistência e superação do Sandro desde a implantação da fábrica no Brasil, quando ele participou do primeiro processo de seleção para operadores que seriam os pioneiros da produção no país. A seleção acolhia candidatos entre 25 e 45 anos, Sandro só tinha 23. Mas ainda assim insistiu em participar e acabou ficando com uma das 23 vagas, disputadas por mais de 100 candidatos. Logo se destacou pelo desempenho da unidade que liderava e recebeu o convite para atuar na área de Engenharia.

Porém, o destino tinha outros planos para ele, e durante as férias veio o acidente que o deixaria paralisado da cintura para baixo. Os sonhos vinculados à carreira profissional se viram frustrados.

Durante 2 anos sua rotina foi entre hospitais, reabilitação e muita dor – física e moral. Mas as pequenas vitórias consecutivas resgataram a força de vontade de que já dera provas antes do acidente e, com apoio da família começou a perseguir novos sonhos.

O esporte paraolímpico passou a ser sua motivação, primeiro no Vôlei Sentado, onde integrou a equipe da Unilehu (Universidade Livre para a Eficiência Humana), patrocinada pelo Instituto Renault e a Seleção Brasileira. O caminho para a esgrima foi rápido, a convite da ADFP (Associação de Deficientes Físicos do Paraná) passou a integrar a equipe e rapidamente chegou à Seleção Brasileira onde obteve excelentes resultados, liderando hoje o ranking nacional na sua categoria.

Desde 2014 o Instituto Renault passou a patrocinar individualmente o Sandro, ajudando-o a ir mais longe em busca de seus sonhos! Torcemos por você, Sandro!

 

 

Sandro Colaço

Galeria de Imagens